Análise tática - Brasil 2 x 0 Paraguai

Brasil 2 x 0 Paraguai - Análise Tática

2ª Rodada Hexagonal Final - Sulamericano SUB-20

Brasil x  Paraguai INICIAL BRASIL

Foto: Quadro inicial Brasil.

 

 

DISTRIBUIÇÃO TÁTICA E PRIMEIRO TEMPO

Brasil teve uma distribuição em campo formando um  4 x 3 x 3 com o meio campo sendo formado por apenas um volante de marcação, Thiago Maia, um meia de articulação, Lucas Evangelista, e um meia de movimentação e chegada, Marcos Guilherme.

A linha de ataque tinha o forte Mamute pela esquerda, o 09 de referência Thalles e Gabriel aberto pela direita.

Essa formação bem ofensiva, com apenas um homem de marcação no meio de campo fez a equipe brasileira não se encontrar nos quinze, vinte minutos iniciais.

Mamute tem força  mas não tem técnica. Não segurou a bola na frente. Tentou muitas jogadas individuais com a cabeça baixa e procurando levar alguma vantagem no corpo a corpo.

O jogador mais técnico do ataque, Gabriel, se posicionou muito aberto pela direita. Faltou centralizar mais quando a jogada era construída pela esquerda. Com três atacantes, aqueles que atuam pelos lados sempre tem que adentrar a grande área quando a jogada se forma no lado contrario.

Isso trouxe, então, um Thalles isolado e sem levar perigo ao gol paraguaio. Com exceção em uma jogada individual ao final do primeiro tempo.

Escalados para criarem Lucas Evangelistas e Marcos Guilherme jogaram, em muitos momentos, muito próximos. As vezes ocupando o mesmo espaço.

A equipe apresentou um nível de ansiedade elevado, acelerando muito o jogo e errando muitos passes

Marcos Guilherme teve muita liberdade. É um atleta que tem um nível de mobilidade muito alto mas se movimentou muito pelos lados e para trás. No primeiro tempo faltou ser mais agudo.

Os laterais Caju e Joao Pedro tiveram liberdade para subir ao ataque. Mas esbarravam nas duas linhas de marcação do Paraguai (notar, no Quadro 02-1, pontilhados os quatro atletas que formaram a segunda linha de quatro, à frente da primeira linha de defesa).

Em contrapartida, o Paraguai conseguiu explorar as costas do lateral João Pedro com frequência. Esse jogador tem alguma qualidade no apoio mas tem sérias deficiências na marcação mas que ainda podem ser corrigidas.

 

Brasil x  Paraguai  QUADRO 01

 

O Brasil voltou para a segunda etapa com os mesmos atletas mas com alteração no modelo de jogo.

Percebendo que o Paraguai no primeiro tempo conseguiu encontrar espaços nas costas dos laterais, o Brasil adotou uma postura mais conservadora com a sua linha de quatro defensiva, segurando um pouco mais João Pedro e Caju e e priorizou o jogo pelo meio com Thiago Maia e Lucas Evangelista ganhando mais liberdade e assim, empurrando Marcos Guiilherme. Configurou-se uma linha mais avançada de ataque (ver quadro 02-1) colocando o adversário bem mais recuado. Note, no mesmo quadro, o posicionamento mais recuado dos laterais com relação ao primeiro tempo.

 

Brasil x  Paraguai QUADRO 02-1

 Com  uma postura mais agressiva e adotando pressão alta o Brasil consegui chegar ao primeiro gol através de Yuri Mamute. Em rebote de escanteio.

Após o  gol o Brasil se estabilizou. O Paraguai, na segunda etapa não apresentou nada mais agudo. Não teve controle de jogo e pouco aproveitou os contra-ataques pois a postura brasileira, segurando os laterais se mostrou acertada.

Com as saídas de Mamute e Gabriel e as entradas de Gérson e Nathan o Brasil ganhou em posse de bola.

Gallo abriu Marcos Guilherme pela direita e Natan pela esquerda e Gérson entrou chamando a responsabilidade na organização de jogo.

Em sua primeira participação conseguiu um passe  deixando M. Gulilherme em condições, depois de ótima arrancada, finalizar com perfeição fazendo o segundo gol brasileiro.

Brasil x  Paraguai QUADRO 02-2

 

 

 

 

Normal 0 21 false false false MicrosoftInternetExplorer4

Brasil 2 x 0 Paraguai-Análise tática

2 RODADA HEXAGONAL FINAL SULAMERICANO SUB-20

Você está aqui: Home Análise de Jogos Análise tática - Brasil 2 x 0 Paraguai